Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Como a eleição de Joe Biden impacta o dólar e o Bitcoin?

No último sábado (7), se concluiu mais um capítulo — e talvez o mais relevante — na corrida para definir quem será o próximo Presidente dos Estados Unidos.

O candidato democrata Joe Biden, vice de Obama (2009-2017), venceu no voto popular com 50,8% dos votos, contra 47,5% de Donald Trump, atual presidente.

Apesar disso, nem tudo está perdido para Trump, pois a eleição nos EUA é indireta e, mesmo perdendo no voto popular, é possível vencer na eleição do colégio eleitoral, que ocorrerá no dia 14 de dezembro.

Trump também crê que existam fraudes nas eleições, e entrou com recursos na Justiça na tentativa de reverter o resultado das eleições, através da recontagem dos votos.

No entanto, é improvável que haja reviravoltas nesse processo, até mesmo pelas estatísticas. Em toda a história dos EUA, apenas cinco presidentes conseguiram ganhar as eleições mesmo perdendo no voto popular.

Por isso, precisamos encarar Joe Biden presidente como uma realidade, e analisar os possíveis impactos de seu mandato ao longo dos próximos quatro anos.

O enfrentamento à pandemia

Primeiramente, precisamos avaliar a questão mais importante do momento. Dessa vez, o próximo presidente terá um desafio inédito — lidar com os efeitos da pandemia do coronavírus.

Este problema, por si só, gera uma incerteza enorme a respeito das ações governamentais, e impõe pressão aos governantes, o que gera uma instabilidade social e econômica, também.

Como é de se esperar, problemas internacionais como guerras e pandemias afetam muito as bolsas e moedas, em especial as de países emergentes, como é nosso caso.

E é por isso que nós, brasileiros, estamos enfrentando um problema tão grave nessa pandemia. Os investidores preferem apostar no dólar, que é uma moeda forte, para se defender da crise.

Tanto é que o ano começou com o dólar a R$ 4,00 e, no dia de hoje, o dólar está cotado a R$ 5,50 — um crescimento de 37% apenas em 2020!

No entanto, o dólar já beirou os R$ 6,00 ao longo do ano, então houve um certo recuo. O que aconteceu?

A reação do mercado à eleição de Biden

Do momento em que Joe Biden foi declarado campeão nas apurações até agora — um intervalo de apenas uma semana — o dólar sofreu uma queda de 7,2% em reais, algo que não se vê todos os dias.

O mesmo aconteceu em outros mercados pelo mundo. Frente ao Euro, por exemplo, o dólar caiu cerca de 2% em um dia. Um valor muito significativo tendo em vista a estabilidade das duas moedas.

Isso demonstra, de certa forma, que o mercado confia menos no dólar (e em Biden) e prefere apostar em outras moedas, pelo menos em meio à atual turbulência nos EUA.

No entanto, talvez você não entenda o motivo disso acontecer. Por isso, precisamos voltar aos conceitos básicos — isso envolve a dívida dos EUA, interferências externas e outras causas que te explicarei a seguir.

O que faz Biden ser temido pelo mercado?

É de conhecimento público que os Estados Unidos, embora tenham uma economia estável, aumentam a cada ano a sua dívida interna, que já passou de absurdos 27 trilhões de dólares. Sim, trilhões.

E mesmo com essa situação, os democratas tendem a ser favoráveis ao aumento de gastos, seja através de assistências sociais, investimentos militares etc.

Logo, surge uma dúvida pertinente: quem irá bancar isso tudo?

E a “solução” tida pelo governo para esse problema tem sido, basicamente, imprimir mais dinheiro para bancar esses gastos, o que ocorre de forma acentuada desde 2008 e já causou crises no passado.

poder de compra do dólar
Poder de compra do dólar caiu 95% em 100 anos

Isso significa que, na prática, o dólar tende a se desvalorizar pois o número de dólares em circulação vai aumentar, o que é explicado pela lei da oferta e demanda.

Esse movimento pode ser bom para o Brasil, porque uma parte dos investidores vai preferir manter seu capital em reais pela taxa de juros e possível melhora econômica.

E como já era de se esperar, esse é um dos pontos que fizeram o Bitcoin subir mais uma vez.

Por que o Bitcoin subiu tanto?

Nos tópicos anteriores, destaquei o aumento no valor do real e do euro frente ao dólar, mas nenhum chega perto da alta do Bitcoin.

No início da apuração, dia 3, o Bitcoin saiu de US$ 13,2 mil e hoje alcançou US$ 16,4 mil! Uma alta de 24% em apenas dez dias.

bitcoin subiu 24%
Bitcoin subiu incríveis 24% em poucos dias | Fonte: TradingView

Essa alta nos prova que as pessoas confiam na capacidade do Bitcoin de exercer suas principais funções: preservar o valor e combater a inflação estatal.

Isso acontece pois o Bitcoin tem uma quantidade máxima fixa: 21 milhões de unidades.

Além disso, a emissão de Bitcoins — conhecida como mineração — é limitada e tende a diminuir, o que o torna escasso, diferentemente de outras moedas.

Por esse motivo, a tendência natural do Bitcoin é valorizar diante das moedas fiduciárias (real, dólar etc.) e, consequentemente, preservar seu valor, inclusive em crises financeiras.

Gostou da explicação? Aproveite e inscreva-se na nossa newsletter para receber semanalmente recomendações, atualizações e dicas sobre Bitcoin e investimentos!

1 Comentário

  • Fabiano Gualberto Santiago
    Posted 14/11/2020 10:14

    O Biticons pra mim é um novo mundo eu estou começando a entra nesse mundo

Deixe um comentário